#CulturaQuerDebate

Segue abaixo um breve relato da reunião de ontem no CTO, e alguns encaminhamentos:

Em primeiro lugar, é da vontade de todos a realização de um debate entre os presidenciáveis organizado pelo movimento cultural e transmitido pela TV Brasil, e, dentro disso, discutimos algumas possibilidades e formatos:

Santini alertou que, como vimos no primeiro (e até então, único) debate entre os candidatos, os temas principais são SAÚDE, EDUCAÇÃO e SEGURANÇA, e cultura não entrará como pauta prioritária, embora todos tratem da cultura em seus programas de governo, disponíveis em seus sites (como lembrado pela Morgana). Sendo assim, eu sugeri que tivéssemos como estratégia bucar dentro destes três temas questões transversais à CULTURA (como a utilização de recursos midiáticos na educação, a medicina tradicional e o saber popular, e a produção de cultura nas periferias, para citar apenas alguns exemplos).
Por se tratarem de questões conceituais, não cabia a nós ali naquele momento definir estes pontos, então fica a indicação para discutirmos isso a nível nacional e com os diversos agentes até a realização do debate.

Maria Luiza, ouvidora adjunta de Televisão da EBC, disse que a TV Brasil ainda não fechou agenda com os candidatos à presidência pois o conselho curador estaria a espera da mobilização por parte da sociedade civil, se tratando de uma tv pública, e disse que a TV estaria disposta a cubrir este debate organizados por nós.

Foi citada a opção de fazermos este encontro na Escola de Comunicação da UFRJ (para Faustini, um lugar “neutro”), onde já temos espaço e articulação junto à rede de Pontos de Cultura (Pontão de Cultura Digital da ECO). Já Licko, propôs que esse fosse feito em um lugar mais “cultural” e “aberto” como o Circo Voador, que também é Ponto de Cultura.
Além da escolha do local, também há escolha política do formato do debate: haverá público? aberto? será selecionado? teria “cota” de público para os candidatos? as perguntas seriam abertas? (Sobre isso, a utilização do twitter e outras redes sociais para ampliar a participação pública no encontro foi consenso).
Também foi sugerida como alternativa à presença dos candidatos (em função da dificuldade de agendas) um debate entre os coordenadores de campanha.
Sobre quais presidenciáveis seriam convidados, todos concordaram em chamar todos os candidatos.
O espaço e o formato para realização do debate não foram fechados a continua aberta a sugestões.

Um detalhe importante é “de quem” partirá este convite, pois se for claramente uma mobilização vinda de setores da esquerda, poderá implicar na não aceitação do convite por parte do candidato do PSDB José Serra, por exemplo.

Morgana levantou também a possibilidade de usarmos o rádio como uma ferramenta de diálogo com estes candidatos, e Maria Luiza ressaltou a abertura da EBC, através da Radio MEC, para tal.

Para a articulação deste evento é preciso uma mobilização em larga escala entre os agentes culturais, utilizando-se para tal ferramentas de petição online para recolhimento de assinaturas (de forma simbólica), redes sociais e, conforme sugerido pelo Faustini, desde já utilizarmos a hashtag #culturaquerdebate no twiter.

Entre os candidatos ao governo, legislativo e senado, vamos realizar o primeiro debate na quinta-feira dia 26/08 (local a definir, provavelmente no centro do Rio).
O convite será amplo a todos os candidatos e suas assessorias, e também os demais agentes políticos e culturais, a participação pelo twitter (e outras redes sociais) será incentivada e fundamental.
A questão da cobertura para este debate ainda não foi definida (na minha opinião pessoal, podemos articular a transmissão pela Radio MEC e incentivar tb a cobertura por parte dos veículos alternativos de comunicação).
Para tal, iremos nos reunir para fechar esta organização na próxima quinta, dia 19/08 às 17h no CTO (a confirmar).

Encaminhamentos:

CONCEITUAL:
– Destacar pontos relativos aos debates da CULTURA nos segmentos considerados prioritários: EDUCAÇÃO, SAÚDE e SEGURANÇA
– Definir o formato do debate entre os presidenciáveis (local; público; transmissão; candidatos ou coordenadores de campanha)
– Pesquisar nos programas de governo as pautas de cultura

ARTICULAÇÃO:
– Uso da hashtag #culturaquerdebate no twitter desde já
Elaboração do texto para recolher assinatura (QUEM?) (Prazo: até quinta que vem?)
– Mobilização nas redes para construção/divulgação/participação nos debates
– Mapeamento de como anda a articulação nos outros estados

LOGÍSTICO:
Organizar o debate do dia 26/08 (quinta): local, estrutura, convites, divulgação, transmissão
– Articular junto à Radio MEC a cobertura do dia 26/08
– Articular junto à TV Brasil a cobertura do debate nacional
– Ver possíveis espaços para o debate entre os presidenciáveis

É notável que nos últimos 8 anos o movimento cultural tem se organizado enquanto movimento social de forma mais orgânica do que em outros momentos da história, mas ainda temos uma dificuldade estrutural de mobilização a nível nacional quando não contamos com o apoio logístico do ministério da cultura (leia-se passagens e hospedagens). Duro, mas é verdade, rs.
Então eis nosso desafio neste momento, uma vez que não se sabe ao certo o que será deste ministério nos próximos quatro anos…

Caso queria participar da discussão, me envie um email: alinecarvalho.cultura@gmail.com

Sobre Aline Satyan

Aline Satyan é formada em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Indústrias Criativas pela Universidade Paris 8 e autora do livro “Produção de Cultura no Brasil: Da Tropicália aos Pontos de Cultura”. Com experiência em políticas culturais e programas de formação para a cultura, trabalhou em diferentes projetos na esfera governamental e universitária. Há alguns anos tem se dedicado a estudar processos de colaboração e atuar como educadora, facilitadora de grupos e consultora de gestão em organizações culturais. Certificou-se em design para sustentabilidade no Programa Gaia Education na ecovila Terra Una (Liberdade, MG) em 2014, Aprofundamento em Dragon Dreaming na Pedra do Sabiá (Itacaré, BA) em 2015 e em Design Permacultural no Instituto Pindorama (Nova Friburgo, RJ) em 2016. É coordenadora do programa Gaia Jovem Serrano, co-fundadora da Cena Tropifágica e da Txai Design de Experiências, e sua principal busca atualmente é por uma vida de consciência, criatividade e em cooperação. Para saber mais: https://www.facebook.com/gaiajovemserrano/ https://www.facebook.com/txaidesigndeexperiencias/ http://www.cenatropifagica.com/

Publicado em 13/08/2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: