O retrocesso da politica cultural no Brasil

Até então eu havia evitado fazer campanha eleitoral aqui, embora deixasse bem claro quais são as minhas posições politicas. Entretanto, depois dessa eu não pude me abster.

Eis o desastre para a cultura que se anuncia caso o candidato tucano José Serra seja eleito: visão conservadora e limitada de cultura e total desconhecimento do atual cenario cultural do pais.

Segue abaixo seu programa de governo para cultura, retirado de seu site (http://serra45.com.br/proposta/cultura,) com alguns comentarios meus…

 

Implementar a Virada Cultural para todo o país: 24 horas ininterruptas de manifestações artísticas e culturais.

Começar um programa de governo sem definir o que se entende por cultura e tendo como exemplo a Virada Cultural de SP, é demonstração de que “cultura é um bom negocio” e tem como principal meio de difusão mega eventos, pontuais e, diga-se de passagem, nada sustentaveis…Cadê o processo?

 

Criar museus, centros culturais e bibliotecas pelo Brasil todo.

Equipamentos culturais se limita a museus, centro culturais e bibliotecas? Quem vai construir? Pra quem? Quem vai gerir? Que “pais todo” é esse, como se o Brasil fosse homogêneo? Você vai construir um museu, por exemplo, numa pequena cidade que tem forte vocação pra teatro, ou impor a utilização de centros culturais em uma comunidade que tem grande tradição em festas de rua, ao invés de apoiar as manifestações ja existentes de acordo com as suas demandas?

O senhor ja ouviu falar num modelo de gestão chamado “Ponto de Cultura”?

 

Criar Centros Culturais voltados especialmente para a Juventude.

Me admira o “ex presidente da UNE” que se orgulha tanto por ja ter sido um dia de esquerda, estar completamente alheio ao que se passa hj o movimento cultural da juventude. Acho otimo criar centros voltados à juventude, mas primeiro é preciso dialogar com ela, não?

 

Garantir fontes diversificadas de recursos para projetos culturais e triplicar as verbas do Ministério da Cultura.

Carissimo candidato, me diga como você vai fazer isso. So a titulo de informação o governo Lula / Ministério Gil-Juca pegaram a pasta da Cultura com R$287 milhões (equivalente a 0,2% do PIB) e hoje este Ministério conta com orçamento de R$ 2,5 bilhões (equivalente a 1,2%). Isso não sem muito esforço e dialogo com outros ministérios e, principalmente a sociedade civil. Com este conceito limitado de cultura apresentado em seu programa, que não mostra dialogo com o Turismo, a Saude, o Esporte, o Meio Ambiente, a Ciencia e Tecnologia, a Comunicação, entre outros, e so uma ou outra ponte com a Educação, fica dificil bater na porta deles pra pedir uma graninha…

 

Distribuir 100 milhões de livros de literatura brasileira por ano para alunos e professores da rede pública.

E até engraçado esse proposta vir do governador do estado que tem ultimamente sido extremamente inospito com as manifestações sindicais de professores da rede publica de ensino…

E, claro, é so isso que falta em termos de cultura para a rede publica de ensino, mais livros para as prateleiras… Estimulo a leitura passa também por atividades ludicas e dialogo com outras linguagens também, para seu conhecimento. A utilização de ferramentas midiaticas em sala de aula (filmes, musica, internet), realização de festivais de musica, poesia, dança e teatro, intercambio entre as escolas, e, principalmente, estimular a produção dos alunos, são importantes formas da cultura investir na transformação da educação hoje.

 

Investir na preservação do patrimônio histórico, artístico e cultural, material e imaterial.

Ah, essa ele deve ter tirado uma colinha das resoluções das Conferências Nacionais de Cultura, as quais espro que ele dê prosseguimento…

 

Fortalecer o cinema nacional, principalmente quanto à distribuição e exibição.

Caro candidato, mais uma vez, me diga como o senhor vai fazer isso. Entregando a industria cinematografica para as mãos do mercado, que resolve tudo? O problema do cinema nacional esta no modelo da industria audiovisual no Brasil, que deve além da “sétima arte” propriamente. Quando Gil tentou criar a Ancinav foi porrada de todos os lados, mas diversos paises possuem uma politica para o audiovisual mais equilibrada (onde, por exemplo, o filme não sai para as salas de cinema 100% pago, limitando o numero de projetos beneficiados pelo Estado) e todo mundo bate palma…

 

Incentivar a formação de corais nas escolas

???????????????

Incentivar a formação de orquestras

Me desculpe mas estas duas ultimas não precisam nem de comentario…..

 

 

O Ministério da Cultura do governo Lula, na gestão de Gilberto Gil, continuado hoje por Juca Ferreira, alcançou ganhos tamanhos para a politica cultural brasileira através da ampliação do conceito de cultura e, principalmente abertura do dialogo com a sociedade civil.

Através de conferências, foruns e editais, hoje muito mais agentes culturais tem acesso às politicas publicas para a cultura, que teve seu conceito expandido para além da arte, englobando também o conhecimento popular, a cidadania, a experimentação artistica, cybercultura, movimentos de juventude, gênero, orientação sexual, etnia, saude fisica e mental, ambiente, e por ai vai.

Em oito anos muito ja foi feito mas ainda ha muito a se fazer. A bur(r)ocracia que impede e/ou atrasa muitas ações culturais, o orçamento ainda limitado e, principalmente, o desconhecimento de grande parte da população da verdadeira revolução cultural que esta acontecendo no pais, precisam de mais 4, 8, 12, 500 anos para recuperar seu atraso historico para com a cultura no Brasil.

Não podemos andar pra tras nesse momento decisivo para o pais. Seja qual for a sua opinião sobre o governo Lula, a Dilma ou o PT, pense nesta possibilidade e aperte 13 no domingo dia 31.

 

Para completar, segue abaixo o Manifesto dos Pontos de Cultura em apoio à candidatura de Dilma Rousseff:

Protagonismo, Autonomia, Empoderamento –um novo conceito:  Ponto de Cultura

Nós, do Movimento dos Pontos de Cultura do Brasil, nos dirigimos aos arteiros, oficineiros, fazedores de cultura ou seja toda cidadã e cidadão brasileiro. Acreditamos que todo ser humano é um produtor de cultura. É o que os Pontos de Cultura e outras entidades culturais provam no seu dia-a-dia. Este é um momento importante no Brasil, um segundo turno é hora de se manifestar, não sermos neutros e optarmos pela projeto político cultural que desejamos para o Brasil.
Hoje somos uma rede de mais de 5 mil pontos de cultura: indígenas, afro descendentes, imigrantes, ciganos, fronteiriços, trabalhadores rurais e urbanos e toda a diversidade cultural que contempla o povo brasileiro. Os Pontos de Cultura estão presentes em centenas de cidades brasileira não só levando a cultura, mas principalmente passando os meios de produção cultural e mostrando a cara, o cheiro e o jeito diferente de transformar através da cultura o Brasil. Trabalhamos com as mais diversas linguagens artísticas. Somos um exemplo de ser e de ter sustentabilidade através da cultura. Não é um projeto de governo e nem de sociedade mas um projeto comum do encontro de uma proposta do Governo Lula/Dilma e dos anseios e de uma sociedade sedenta de cultura. Trabalhamos para a afirmação de novas relações entre Estado e sociedade, nas quais gestores públicos e movimentos sociais estabelecem canais de diálogo e aprendizado mútuo. Acreditamos na construção coletiva de um novo processo de cultura política com caráter emancipador, em que as hierarquias sociais e políticas são quebradas e criam base para novas legitimidades.
Antes de Lula/Dilma a cultura tinha como seu principal instrumento a lei Rouanet de isenção de impostos de empresas. Um outro foco, não é a toa que tinham a cartilhaCultura é um Bom Negócio. A política cultural ficou praticamente a cargo das empresas e não da sociedade e/ou do Ministério da Cultura. O orçamento final de FHC/Serra foi de 0,14% e hoje com Lula/Dilma chegamos próximos a 1% e queremos mais e mais.
Mais do que orçamento, a lógica de Lula/Dilma foi acreditar na capacidade da própria sociedade, principalmente de movimentos sociais e culturais que já estavam em plena atividade e empoderá-los.
Acreditamos que toda mudança estrutural passa pela mudança cultural, não basta ter crescimento econômico dissociado de uma democratização radical da cultura. A cultura envolve mudança de mentalidades e atitudes no lidar com a terra, com os valores, os saberes tradicionais, eruditos e populares. Isto requer mais que investimentos em obras e instalações, requer investimento nos seres humanos, no meio ambiente, na natureza contemplando suas diversidades e contradições.  Nesta nova lógica o Governo Lula/Dilma deu um grande passo e acreditamos que os Pontos de Cultura é um dos programas base nesta nova sociedade que começa a ser construída e temos a certeza que só um Governo Dilma dará continuidade, aprofundamento e transformará esta proposta de Governo em Política Publica.
Pra cultura seguir mudando e mudar o Brasil. DILMA 13

 

1,2%é

Sobre Aline Satyan

Aline Satyan é formada em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Indústrias Criativas pela Universidade Paris 8 e autora do livro “Produção de Cultura no Brasil: Da Tropicália aos Pontos de Cultura”. Com experiência em políticas culturais e programas de formação para a cultura, trabalhou em diferentes projetos na esfera governamental e universitária. Há alguns anos tem se dedicado a estudar processos de colaboração e atuar como educadora, facilitadora de grupos e consultora de gestão em organizações culturais. Certificou-se em design para sustentabilidade no Programa Gaia Education na ecovila Terra Una (Liberdade, MG) em 2014, Aprofundamento em Dragon Dreaming na Pedra do Sabiá (Itacaré, BA) em 2015 e em Design Permacultural no Instituto Pindorama (Nova Friburgo, RJ) em 2016. É coordenadora do programa Gaia Jovem Serrano, co-fundadora da Cena Tropifágica e da Txai Design de Experiências, e sua principal busca atualmente é por uma vida de consciência, criatividade e em cooperação. Para saber mais: https://www.facebook.com/gaiajovemserrano/ https://www.facebook.com/txaidesigndeexperiencias/ http://www.cenatropifagica.com/

Publicado em 21/10/2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: