Lula presta solidariedade ao Wikileaks

Em português:

« Como devemos muito a nossa bancada, como devemos muito a todos que nos ajudaram, como devemos muito a imprensa…A imprensa, eu queria até dizer, às vezes eu critico, vocês falam « o Lula ta criticando a imprensa ». Nao, estou apenas alertando. Como eu gosto que vocês me alertem, eu gosto de alertar vocês O que eu fico estranho é que o rapaz que tava desembaraçando a diplomacia americana…como é que chama ? Wikileaks! O rapaz foi preso e eu nao estou vendo nenhum protesto contra a liberdade de expressao ! (aplausos) É engraçado, nao tem um…nada ! Nada contra a liberdade de expressao… De um rapaz que estava colocando a nu o trabalho menor que alguns embaixadores fizeram. Eu nao sei se meus embaixadores passam esses telegramas, mas olha, a Dilma tem que saber, e falar pros seus ministros, se nao tiver o que escrever, nao escreva bobagem … Passe em branco a mensagem ! E ai aparece o tal do Wikileaks, desnuda a diplomacia que parecia inatingivel, parecia a mais certa do mundo e ai começa uma busca. Eu nao sei se colocaram um cartaz como nos tempos do faroeste « procura-se vivo ou morto », sabe ? E prenderam o rapaz e eu nao vi um voto de protesto. Ô, Stuckinha (Ricardo Stuckert, fotógrafo oficial da Presidência), pode colocar no blog do Planalto o primeiro protesto, então, contra a [o cerceamento à] liberdade de expressão na internet, para a gente poder protestar, porque o rapaz estava apenas colocando aquilo que ele leu. E se ele leu porque alguém escreveu, o culpado não é quem divulgou, o culpado é quem escreveu. Portanto, em vez de culpar quem divulgou, culpe quem escreveu a bobagem, porque senão não teria o escândalo que tem. Então, Wikileaks, minha solidariedade pela divulgação das coisas e meu protesto contra a [o cerceamento à] liberdade de expressão. Um abraço. »


Em inglês:

” We’d like to thank a lot everyone who helped us, as also the press … The press, I want to say, sometimes I criticize, you say “Lula is criticizing the press…” No, I’m just warning you. I like how you warn me, so I’d like to warn you that I find a weird thing that the guy who was extricating American diplomacy … how is that called? Wikileaks! The boy was arrested and I’m not seeing any protest against freedom of expression! (Applause.) It’s funny, we don’t have none … nothing! Nothing against freedom of expression … From a guy who was laying bare the job that a few ambassadors did. I do not know if these are my ambassadors telegrams, but look, Dilma have to know, and speak to her ministers, if we don’t have to write, we shouldn’t write … Leave the message empty! And then this appears to Wikileaks, naked diplomacy that seemed unattainable, seemed the surest of the world and then a hunt starts. I do not know if posters have been put like in “Wild West ‘Wanted Dead or alive’, you know? Then they took the boy and I have not seen a protest vote. Hey, Stuckinha (Ricardo Stuckert, official photographer of the President), you can place on the Plateau blog the first protest, then, against [the restriction to] freedom of expression on the Internet, so we could protest, because the guy was just putting out what he read. And if he read it it’s because someone wrote, the culprit is not who released it, the culprit is who wrote. So instead of blaming those who released it, we should blame the person who wrote the silly, so we wouldn’t have all this scandle. So, Wikileaks, my sympathy for the disclosure of things and my protest against [the restriction to] freedom of expression. A hug.


Em francês:

“Nous remercions chaleureusement tous ceux qui nous ont beaucoup aidés, comme nous remercions la presse … La presse, je  veux dire, parfois je la critique, vous dites «Lula critique la  presse.” Non, je vous mets juste en garde. J’aime la façon dont vous me prévenez alors je tiens à vous avertir de quelque chose que je trouve bizarre, c’est que le gars qui était en train de démêler la diplomatie  américaine … comment il s’appelle? Wikileaks! Le garçon a été arrêté et je ne vois aucun signe de protestation contre [la restriction de] la liberté d’expression! (Applaudissements) C’est drôle, on ne voit rien … rien! Il n’y a rien contre [la restriction de] la liberté d’expression … d’un gars qui a mis à nu ce que quelques ambassadeurs faisaient. Je ne sais pas si mes ambassadeurs en font partie, mais il faut que Dilma le sache, et parle à ses ministres, si nous  n’avons pas à écrire, n’écrivons pas! … C’est mieux de passer un message vide ! Et voilà, il apparait ce type Wikileaks, il met à nu la diplomatie qui semblait inaccessible, qui semblait la plus sûre du monde, et on commence une traque. Je ne sais pas si on a mis des  affiches comme au temps du Far West en disant “Recherché mort ou vif», vous savez ? Puis ils ont attrapé ce garçon et je n’ai pas vu un élan de protestation.

Hé,  Stuckinha (Ricardo Stuckert, photographe officiel du président), vous pouvez mettre sur le blog du Plateau la première manifestation: contre [la restriction de] la liberté d’expression sur Internet, afin  que nous puissions protester, parce que le gars était juste en train de mettre ce qu’il a lu. Et s’il a lu, c’est parce que quelqu’un a écrit, donc le coupable n’est pas qui a publié, le coupable est celui qui a écrit. Ainsi, au lieu de blâmer ceux qui ont publié, il faut blâmer la personne qui a écrit des choses ridicules, sinon on aurait pas le scandale qu’on a. Donc, Wikileaks, ma sympathie pour la divulgation des choses et ma  protestation contre [la restriction de] la liberté d’expression. Une accolade. »


http://blog.planalto.gov.br/presidente-presta-solidariedade-em-publico-ao-wikileaks/

 

*des remercies spéciales à taziden et etherpad, qui m’ont aidé avec la traduction!

para quem quiser contribuir na traduçao: http://pad.zat.im/wikileaks-discours-lula

Sobre Aline Satyan

Aline Satyan é formada em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Indústrias Criativas pela Universidade Paris 8 e autora do livro “Produção de Cultura no Brasil: Da Tropicália aos Pontos de Cultura”. Com experiência em políticas culturais e programas de formação para a cultura, trabalhou em diferentes projetos na esfera governamental e universitária. Há alguns anos tem se dedicado a estudar processos de colaboração e atuar como educadora, facilitadora de grupos e consultora de gestão em organizações culturais. Certificou-se em design para sustentabilidade no Programa Gaia Education na ecovila Terra Una (Liberdade, MG) em 2014, Aprofundamento em Dragon Dreaming na Pedra do Sabiá (Itacaré, BA) em 2015 e em Design Permacultural no Instituto Pindorama (Nova Friburgo, RJ) em 2016. É coordenadora do programa Gaia Jovem Serrano, co-fundadora da Cena Tropifágica e da Txai Design de Experiências, e sua principal busca atualmente é por uma vida de consciência, criatividade e em cooperação. Para saber mais: https://www.facebook.com/gaiajovemserrano/ https://www.facebook.com/txaidesigndeexperiencias/ http://www.cenatropifagica.com/

Publicado em 11/12/2010, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: