Encontros tropifágicos: remix de Yemanjá

A rede Cena Tropifágica tem sido, acima de tudo, um grande espaço de, aprendizados, trocas e conexões. E desses encontros nasceu mais um filho tropifágico: o remix da faixa Yemanjá.

A convite de Thiago Pondé, Mariella Santiago empresta sua maravilhosa voz à composição de Rafael Pondé, Tico Marcos e Roberto Leite, num delicioso tabuleiro de baianos. Ao mesmo tempo, em Paris, chega às minhas mãos através do DJ mineiro Corisco Dub, a revista Bravo!  com a matéria “A voz e o computador”, sobre o novo disco de Gal Costa produzido por Caetano Veloso.

Naquele momento, entendi que a inovação que a guitarra elétrica tropicalista trazia para a música brasileira é hoje representada pela produção musical caseira e de qualidade (salve Amarelo Estúdio!), entre softwares de áudio e e-mails. Na hora, pensei que Yemanjá poderia representar isso, no grande trabalho de experimentação estética que é a Tropifagia: a mistura de referências, o diálogo entre a cultura popular dos orixás e ijexá e a cultura digital do remix e sintetizadores.

Convidamos então Corisco para remixar a música. Confira:

http://w.soundcloud.com/player/?url=http%3A%2F%2Fapi.soundcloud.com%2Ftracks%2F49916166&show_artwork=true

Mas todo este trabalho tem sido feito à base de parcerias e encontros inesperados. Eis então que, sem saberem que já estavam ligados pelo processo tropifágico, Mariella, em turnê em Paris, encontra Corisco e o grupo parisiense de maracatu Tamaracá e fecham uma parceria para tocarem juntos no concurso de batucada da cidade.

Assista a um trecho da apresentação do Tamaracá com participação de Mariella:

Conexões feitas e referências compartilhadas, eis que a rainha do mar recebe em oferenda uma versão dub com um toque afrobeat, e continua a abrir nossos caminhos na empreitada tropifágica.

Bom apetite!

Publicado originalmente em: http://tropifagia.art.br/?p=344

Sobre Aline Satyan

Aline Satyan é formada em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Indústrias Criativas pela Universidade Paris 8 e autora do livro “Produção de Cultura no Brasil: Da Tropicália aos Pontos de Cultura”. Com experiência em políticas culturais e programas de formação para a cultura, trabalhou em diferentes projetos na esfera governamental e universitária. Há alguns anos tem se dedicado a estudar processos de colaboração e atuar como educadora, facilitadora de grupos e consultora de gestão em organizações culturais. Certificou-se em design para sustentabilidade no Programa Gaia Education na ecovila Terra Una (Liberdade, MG) em 2014, Aprofundamento em Dragon Dreaming na Pedra do Sabiá (Itacaré, BA) em 2015 e em Design Permacultural no Instituto Pindorama (Nova Friburgo, RJ) em 2016. É coordenadora do programa Gaia Jovem Serrano, co-fundadora da Cena Tropifágica e da Txai Design de Experiências, e sua principal busca atualmente é por uma vida de consciência, criatividade e em cooperação. Para saber mais: https://www.facebook.com/gaiajovemserrano/ https://www.facebook.com/txaidesigndeexperiencias/ http://www.cenatropifagica.com/

Publicado em 17/06/2012, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: