GT Pesquisa Viva: por uma cultura de pesquisa participativa

logo.teia_2014A Teia Nacional da Diversidade, realizada entre os dias 19 e 24 de maio em Natal (RN) reuniu pontos de cultura, grupos artísticos, movimentos sociais, gestores, pesquisadores e agentes culturais em um grande encontro do Programa Cultura Viva, que completa dez anos este ano. Entre debates, seminários, oficinas e apresentações artísticas, pontos de cultura todo o país tiveram a  oportunidade de trocar experiências e impressões, resgatar e avaliar o histórico do movimento, bem como propor novas diretrizes e caminhos.

Considerando as diversas pesquisas e estudos já realizados sobre o Programa, e buscando um maior diálogo entre estas narrativas e a realidade cotidiana dos Pontos de Cultura, foi criado durante o Forum Nacional de Pontos de Cultura o GT Pesquisa Viva, formado por ponteiros e pesquisadores interessados em produzir conhecimento e reflexões sobre o programa. O objetivo do grupo de trabalho é criar uma cultura de pesquisa dentro da rede do Cultura Viva, junto a pontos de cultura, gestores públicos e universidades. Por isso, busca-se potencializar a produção de indicadores e informações sobre o Cultura Viva através do levantemento, disponibilização e articulação em rede dessa produção criando espaços de intercâmbio de informações e metodologias junto a outras redes, buscando fomentar todos os atores do Programa como pesquisadores em potencial.

Entre as estratégias de ações desenhadas pelo grupo, estão:

. Contribuir com a criação de um repositório de pesquisas acadêmicas, estudos gerais e relatórios institucionais sobre o Programa já produzidos, em especial, pelos Pontos de Cultura e através deles. E a fim de fortalecer a rede, o repositório, iniciamente hospedado no site do Observatório de Políticas Públicas da UnB, será disponibilizado também nas plataformas do próprio programa, como iTeia, Rede Mocambos, Culturadigital.br, Rede Livre, Estúdio Livre, etc.

. Acompanhar as pesquisas e estudos em curso, como o Redesenho do Programa Cultura Viva e a pesquisa de Monitoramento e Avaliação da Rede Estadual que está sendo realizada pela Secretaria de Cultura do Rio de Janeiro, dando retorno periódico à rede sobre seu andamento.

. Fomentar a produção de conhecimento e levantamento de novos indicadores por parte dos próprios pontos de cultura, através da capacitação em pesquisa-ação participativa, com compartilhamento das metodologias e de seus resultados.

Respondendo ao objetivo de articulação com outras redes, já na Teia o recém-criado GT participou do Seminário Visões sobre o Programa Cultura Viva, nos dias 22 e 23 de maio, que teve como objetivo a retomada da Rede de Pesquisadores do Cultura Viva. Na ocasião, foi estabelecida uma parceria tripartite entre sociedade civil (GT Pesquisa Viva), academia (Observatório de Políticas Públicas da UnB) e gestão pública (Fundação Casa de Rui Barbosa / MinC), visando o fortalecimento das ações mencionadas acima.

Além disso, como uma primeira ação concreta, o grupo realizou na tarde do dia 23 uma oficina de pesquisa-ação participativa com o objetivo de construir de forma colaborativa a avaliação da Teia. O questionário, construído coletivamente, busca mapear a opinião dos ponteiros e demais participantes da Teia a respeito da programação do encontro, principais contribuições e aprendizados e também incita a reflexão sobre questões como representatividade e sugestões para próximas Teias. O formulário se encontra disponível em http://www.mostre.me/pesquisacaonateia.

Você que esteve na Teia da Diversidade compartilhando o trabalho do seuPonto de Cultura, participando da Feira da Economia Solidária, discutindo a Lei Cultura Viva, realizando a sua pesquisa sobre os Pontos de Cultura, ou simplesmente passando para conhecer o movimento, não deixe de responder. Sua participação é muito importante para termos uma visão geral dos frutos do encontro e como torná-lo ainda mais proveitoso para as próximas edições. Afinal, se a Cultura é Viva, a pesquisa é nossa!

 

*Outras referências imoportantes da Teia da Diversidade:

Clique aqui para ler a Carta de Natal, do Fórum Nacional de Pontos de Cultura

Clique aqui para ler a Carta final do I Forum de Gestoras e Gestores do Programa Cultura Viva

Sobre Aline Satyan

Aline Satyan é formada em Estudos de Mídia pela Universidade Federal Fluminense, mestre em Indústrias Criativas pela Universidade Paris 8 e autora do livro “Produção de Cultura no Brasil: Da Tropicália aos Pontos de Cultura”. Com experiência em políticas culturais e programas de formação para a cultura, trabalhou em diferentes projetos na esfera governamental e universitária. Há alguns anos tem se dedicado a estudar processos de colaboração e atuar como educadora, facilitadora de grupos e consultora de gestão em organizações culturais. Certificou-se em design para sustentabilidade no Programa Gaia Education na ecovila Terra Una (Liberdade, MG) em 2014, Aprofundamento em Dragon Dreaming na Pedra do Sabiá (Itacaré, BA) em 2015 e em Design Permacultural no Instituto Pindorama (Nova Friburgo, RJ) em 2016. É coordenadora do programa Gaia Jovem Serrano, co-fundadora da Cena Tropifágica e da Txai Design de Experiências, e sua principal busca atualmente é por uma vida de consciência, criatividade e em cooperação. Para saber mais: https://www.facebook.com/gaiajovemserrano/ https://www.facebook.com/txaidesigndeexperiencias/ http://www.cenatropifagica.com/

Publicado em 03/06/2014, em Uncategorized. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: